MARILYN MANSON - No Reflection

[postlink]http://rocknrollpost.blogspot.com/2012/04/marilyn-manson-no-reflection.html[/postlink]http://www.youtube.com/watch?v=DOj3wDlr_BMendofvid[starttext]Brian Hugh Warner, mais conhecido como Marilyn Manson, nasceu em Canton, Ohio, no dia 5 de Janeiro de 1969. Durante a infância, estudou em um colégio cristão. Trabalhou na revista 25th Parallel, mas nunca foi formado em jornalismo. Cansado da mesmice do meio musical, decidiu ter uma banda, que foi formada em 1989 atendida como nome de Marilyn Manson & The Spooky Kids. Seu nome é a junção de Marilyn Monroe, uma famosa estrela do cinema e Charles Manson, o assassino.

A primeira formação contava com Manson nos vocais, Daisy Berkowitz na guitarra, Olivia Newton Bundy no baixo e Zsa Zsa Speck na bateria eletrônica. Essa formação durou apenas dois shows. Logo depois a banda contou com Sara Lee Lucas usando uma bateria acústica, Gidget Gein no baixo e Madonna Wayne Gacy (também conhecido como Pogo) nos teclados. A banda chamou a atenção de Trent Reznor, líder do Nine Inch Nails e em 1994, lançam o álbum de estreia (usando apenas o nome Marilyn Manson), intitulado “Portrait Of An American Family.” Gidget Gein deixou a banda, dando lugar a Twiggy Ramirez. O álbum foi produzido por Reznor e a banda assinou contrato com o selo Nothing Records. Além da turnê própria, a banda abriu alguns shows da turnê Self Destruction do Nine Inch Nails.

Em 1995, sai o EP “Smells Like Children,” com remixes do primeiro álbum e três músicas covers: Sweet Dreams (Are Made of This) (Eurythmics), I Put A Spell On You (Screamin’ Jaw Hawkins) e Rock N’ Roll Nigger (Patti Smith). Sweet Dreams (Are Made of This) tornou-se o maior clássico da banda até hoje. Da mesma forma que o ano anterior, além dos shows próprios, a banda abriu alguns shows da banda Danzig. No mesmo ano, Sara Lee Lucas sai da banda por conta própria e Ginger Fish entra no lugar.

O álbum “Antichrist Superstar” é lançado em 1996. Novamente produzido por Reznor, o álbum ainda teve a participação de Danny Lohner e Chris Vrenna (ambos membros do Nine Inch Nails na época). Entre 1996 e 1997 a banda fez sua primeira turnê mundial e começou a ser reconhecida. Daisy Brekowitz deixou a banda no meio das gravações. Zim Zum entrou no lugar, tocando guitarra na turnê Dead to the World.

Em 1998, a banda chega em seu auge com o lançamento do álbum “Mechanical Animals”. O visual da banda muda completamente e abrange um lado mais glam. Zim Zum só participa das gravações e John 5 entra no seu lugar. O álbum alcançou o primeiro lugar na parada da Billboard.

Em 1999, aconteceu o caso dos estudantes em Columbine. A imprensa massacrou o Manson, o acusando de ser a principal influência para os garotos cometerem tal ato. Isso quase arruinou a carreira da banda. Motivado por isso, lançou o álbum “Holy Wood (In The Shadow Of The Valley Of Death) em 2000. Foi um tipo de resposta a todas as acusações feitas pela mídia. Com relação a isso, Manson fez uma participação do filme “Tiros em Columbine” do Michael Moore, comentando o tal fato.

Entre 2001 e 2002, fez parte de algumas trilhas sonoras, além de lançar um DVD sobre a turnê do Holy Wood, intitulado “Guns, God and Government World Tour.”

Twiggy Ramirez deixa a banda em 2002, Tim Skold o substitui e em 2003 a banda lança o “The Golden Age Of Grotesque,” com várias referências a Alemanha dos anos 30, além de referências burlescas. Quase que uma “homenagem” à sua ex-mulher (noiva na época) Dita Von Teese. O álbum foi bem recebido pelo público.

Em 2004, saiu a coletânea Lest We Forget: The Best Of. Além do CD, tem o DVD com todos os clipes da banda até a época e mais alguns “easter eggs” como o making of do vídeo da “mOBSCENE,” a versão alternativa do vídeo da “Disposable Teens” e um vídeo chamado “Autopsy,” além de uma galeria de fotos. Na turnê, Ginger Fish foi substituído por Chris Vrenna por motivos de saúde. John 5 saiu da banda e Mark Chaussee assumiu o posto de guitarrista.

De 2004 a 2006, todos chegaram a pensar que a banda acabaria por problemas pessoais do Manson, mas em 2007 sai o “EAT ME, DRINK ME.” O álbum teve opiniões divididas, justamente pela direção musical que o álbum tomou. Ficou mais melancólico e repleto de solos de guitarra, que não é um artifício comum na banda. Tim Skold produziu e tocou todos os instrumentos. O álbum foi descrito pelo próprio Manson como sua ressurreição musical e a responsável por parte desse processo foi, na época, sua namorada, Evan Rachel Wood.

Pogo sai da banda em 2006, no seu lugar entra Chris Vrenna. Tim Skold passa a ser o guitarrista e Rob Holliday assume o baixo.

Em Janeiro de 2008, para a surpresa de todos os fãs, Twiggy Ramirez voltou para a banda no lugar de Tim Skold, ficando como baixista, Rob Holliday passa para a guitarra e eles terminaram a turnê Rape Of The World naquele ano.

Durante o ano de 2008, a banda trabalhou no primeiro álbum com o Twiggy desde 2000. Lançado em Maio de 2009 com o título “The High End of Low,” o álbum foi bem recebido pelos fãs e ficou no 4º lugar na parada da Billboard na primeira semana de vendas.

O álbum também é considerado autobiográfico e um dos temas principais é o valor da “perda.” Manson diz que isso foi devido ao tempo que ele ficou totalmente sozinho em sua casa - e também pelo término do namoro com Evan -, de Novembro até 5 de Janeiro, dia de seu aniversário e também quando o CD foi finalizado. A produção contou com Chris Vrenna, Twiggy e o próprio Manson, além da colaboração de Sean Beavan na parte da mixagem.
Rob Holliday deixou a banda. Por um curto espaço de tempo, o guitarrista Wes Borland fez parte da banda, mas decidiu voltar para o Limp Bizkit. Então, para a turnê foi chamado o guitarrista/baixista Andy Gerold, que assume o baixo e Twiggy fica com a guitarra.

Ainda no final de 2009 é anunciado que a banda não faz mais parte da gravadora Interscope (Universal Music).

Atualmente Manson e banda estão estúdio preparando o novo álbum, que foi descrito até agora como “muito pesado”. Fred Sablan é anunciado como o novo baixista e também está participando das gravações. No final de 2010 é anunciada a nova gravadora que a banda fará parte: A britânica Cooking Vinyl. É uma gravadora independente que dá toda a liberdade de criação para os músicos. Ginger Fish deixou a banda em Fevereiro de 2011 e Chris Vrenna Assumira seu posto, não sabendo se haverá teclados ao vivo, o Ator Shia Labeoulf anunciou em uma entrevista que estava trabalhando em um documentário sobre o novo albúm de Manson, depois surgi um site com uma foto misterioso do Manson, era o documentário que se chamava Born Villain e no dia 02 de setembro ele anuncia o nome do novo albúm de mesmo nome.

fonte: last fm

Diferente do seu habitual estilo o ''pai da lady gaga'' está de volta, e o que parece é que este novo álbum chamado Born villain fará mais sucesso que seu antecessor, The high end of low, que não conseguiu muito destaque em relação aos outros, não faz parte dos artista que costumo ouvir, mas é inegável a importância que este ser estranho têm para o rock mundial.
[endtext]

5 comentários:

Alonso disse...

Eu não fazia mais fé nele não, mas essa musica ficou bem foda =)

Cara, gostaria de chamá-lo para uma nova comunidade que está surgindo, para divulgação de blogs..
S

Sou o Alonso lá da comu dos blogs, e gostaria de deixar aqui o link da comunidade nova http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=122157650

abçs!

Tauã Soares disse...

muito boa essa musica!

parabens pelo blog ...
passa la? opinioespromundo.blogspot.com.br

Guilherme Augusto disse...

E 1º de Maio que não chega nunca... rsrs

Vicent Chagas disse...

curto muito o manson! posta o video dele com a Taylor Moonsen no revolver golden gods awards ficou muito foda. aliais, parabéns pelo blog já estou seguindo

@vice_says
http://maisumadosedevodka.blogspot.com.br/

Guru do Metal disse...

já postei dele com rammstein que achei melhor

Postar um comentário

 
Real Time Analytics