TESTAMENT - Native Blood

[postlink]http://rocknrollpost.blogspot.com/2012/08/testament-native-blood.html[/postlink]http://www.youtube.com/watch?v=gpNMyoO37voendofvid[starttext]Originalmente conhecido como Legacy, o Testament é um dos fundadores do então chamado movimento Thrash da Bay-Area de meados dos anos 80. No início foi criticada por assemelhar-se muito ao Metallica mas mesmo assim o grupo se destacou na cena bay area. Seus dois primeiros álbuns são clássicos do Thrash metal e com o terceiro “Practice What You Preach” começa a fazer mais sucesso e ser veiculado na grande mídia, como a MTV.
O Testament também chamou atenção pelos ótimos músicos que tinha, como por exemplo o guitarrista solo Alex Skolnick foi considerado um dos melhores guitarristas de heavy-thrash metal da década de 90.
O line-up original se juntou-se novamente em 2005.

História
1983-1987 - O início


Formada em 1983 pelos guitarristas Eric Peterson e Derrick Ramirez e pelo baterista Louie Clemente originalmente com o nome de The Legacy. Juntaram-se à banda o baixista Greg Christian, e o vocalista Steve Souza. Derrick Ramirez foi substituído por Alex Skolnick, que estudou guitarra com o lendário guitarrista Joe Satriani. Em 1984 a banda lança uma demo intitulada First Strike is Deadly com Steve Souza nos vocais. Após a a saída de Steve Souza para juntar-se ao Exodus a banda incorporou o vocalista Chuck Billy.


”Testament” e formação clássica (1987-1992)

Em 1987 enquanto gravava seu primeiro álbum em Ithaca, Nova Iorque a banda foi forçada a mudar seu nome para Testament (nome dado por Billy Milano, vocalista da banda de hardcore M.O.D. e também da banda crossover S.O.D.), pois outra banda tinha os direitos autorais do nome The Legacy.

O primeiro álbum lançado pela banda em 1987 foi o “The Legacy” pela Megaforce Records. Este é considerado até hoje um álbum clássico pelos amantes do thrash metal. Nesta época o Testament obteve fama imediata nos círculos de thrash metal e chegou a ser comparado com seus companheiros do Metallica. A banda melhorou sua divulgação embarcando em uma turnê pelos Estados Unidos e pela Europa com o Anthrax, que na época estava fazendo a divulgação do álbum “Among the Living”. O EP “Live at Eindhoven” foi gravado nesta turnê no “Dynamo Festival” na Holanda.

Lançado em 1988, o álbum “The New Order” , foi uma continuação do trabalho anterior. Neste mesmo ano a banda faz sua primeira aparição no festival Monsters of Rock na Inglaterra.

Após outra turnê mundial a banda entrou em estúdio para gravar o álbum “Practice What You Preach”. Lançado em 1989, este álbum tem letras que se focam mais em assuntos como política e corrupção em vez de falar de temas ocultos e obscuros como nos dois primeiros álbuns. Na turnê deste álbum a banda compartilhou o palco com as bandas Savatage e Wrathchild America. Este álbum foi bastante popular na época alcançando a marca de 400.000 cópias vendidas e acabou sendo notado pela MTV norte-americana que passava bastante o videoclipe da faixa-título em um programa chamado Headbangers Ball.

Em 1990 foi lançado o “Souls of Black” e nesta mesma época a banda participou do festival “Clash Of The Titans” ao lado de Slayer, Megadeth e Suicidal Tendencies. Em 1991 foi lançado o vídeo “Seen Beetween the Lines”.

1992, saída de Skolnick

Em 1992 Alex Skolnick afasta-se da banda temporariamente para fazer uma turnê com o baixista de jazz Stuart Hamm, mas retorna e começa a escrever músicas para um novo álbum que seria lançado em 1992. Este novo álbum chamaria-se “The Ritual”, um álbum bem diferente dos anteriores e com menos influência do thrash metal.

Alex Skolnick, sentia-se frustrado pelas limitações da banda e a abandonou para formar sua própria banda chamada de Exhibit-A, mais tarde ele junta-se ao Savatage. O baterista Louie Clemente logo se desligou da banda para fixar-se em uma carreira não-musical mais estável, enquanto isso Eric Peterson e Chuck Billy queriam que o Testament ficasse com uma sonoridade mais thrash metal novamente.

1993-1995 - mudanças

Em 1993, Alex Skolnick e Louie Clemente foram temporariamente substituídos respectivamente por Glen Alvelais e Paul Bostaph ambos da banda Forbidden. Esta formação lançou o EP ao vivo “Return to Apocalyptic City”. Logo após este lançamento Glen Alvelais abandonou a banda e Paul Bostaph juntou-se ao Slayer.

Em 1994, foi lançado o álbum “Low”, que contava com John Tempesta na bateria e James Murphy (ex- Disincarnate, Death, Cancer, Obituary) na guitarra.

“Low” é um álbum que mescla influências mais pesadas (groove metal), sendo também bastante diferente de todos os anteriores. Depois da turnê de 1994-1995, Greg Christian, e James Murphy deixam a banda. John Tempesta também deixa a banda para juntar-se ao White Zombie, e é substiuído por John Dette. O álbum ao vivo “Live At The Fillmore” é lançado em 1995, e então John Dette deixa o Testament em 1996 para se juntar ao Slayer. O álbum “The Best Of Testament” é lançado em 1996.

1996-1999, influências de death metal.

Em meados de 1996, Chuck Billy anuncia que ele, Eric Peterson e Greg Christian em conjunto com o baterista Chris Kontos (saído da banda Machine Head) mudariam o nome da banda para “Dog Faced Gods”. A idéia não deu certo, a banda continuou chamando-se Testament e realizou a gravação do álbum “Demonic”.

No álbum “Demonic”, de 1997, o Testament ganha uma sonoridade bem mais próxima do death metal. Neste álbum Eric Peterson toca ambas as guitarras, Derrick Ramirez volta à banda para tocar baixo e Gene Hoglan entra para tocar bateria. Este álbum é considerado por muitos o mais pesado de toda a carreira da banda. “Signs Of Chaos”, uma coletânea com mais duas faixas bônus, foi lançada em 1997.

Em 1999, Gene Hoglan parte e James Murphy volta para o lançamento do “The Gathering”, que incluiu nomes de peso em sua execução, como o baixista Steve DiGiorgio (ex-membro do Death e do Sadus) e Dave Lombardo (o baterista original do Slayer).

Problemas de saúde

Logo após o lançamento do “The Gathering”, foi diagnosticado no guitarrista James Murphy um tumor cerebral. Através de diversas campanhas de arrecadação de dinheiro, James Murphy pôde fazer a cirurgia e se recuperou totalmente.

Em março de 2001, após a turnê mundial “Riding The Snake” onde Steve Smyth substituiu James Murphy, foi diagnosticado no vocalista Chuck Billy uma forma rara de câncer testicular que se espalhou por seu peito e coração. Mesmo com as dificuldades do tratamento do câncer, o vocalista Chuck Billy conseguiu emprestar sua voz para a regravação de diversos clássicos (dos dois primeiros álbuns) do Testament lançando assim o álbum “First Strike Still Deadly”. Este álbum contou com a formação de Chuck Billy, Eric Peterson, Steve DiGiorgio, e a volta de Alex Skolnick na guitarra e John Tempesta na bateria.

2003-2005, turnê com a formação clássica

Em 2003 com a saúde de Chuck Billy completamente restaurada, a banda voltou a tocar ao vivo com um novo baterista, Jon Allen do Sadus. Em 2004, a banda mudou novamente sua formação e John Allen foi substituído por Paul Bostaph. O guitarrista Steve Smyth também deixou a banda para juntar-se ao Nevermore e foi substituído por “Metal” Mike Chlasciak, ex-guitarrista da banda Halford. Logo após a saída de Steve Smyth, Eric Peterson caiu de uma escada e fraturou a perna em três lugares durante a passagem da banda pela Eslováquia impedindo a continuação de sua participação na turnê. O grupo ainda se apresentou nesta noite apenas com *”Metal” Mike Chlasciak nas guitarras. Eric Peterson foi levado ao hospital passando por uma cirurgia onde foram colocados alguns pinos em sua perna. Ele foi temporariamente substituído por Steve Smyth nesta turnê.

Em maio de 2005, foi anunciado que o Testament faria uma turnê de reunião apenas na Europa com a formação original contando com Chuck Billy, Eric Peterson, Alex Skolnick e Greg Christian, com a bateria sendo dividida entre John Tempesta e Louie Clemente. Louie tocava as músicas mais antigas (segundo o próprio, sua técnica teria declinado ao longo destes anos longe dos palcos) e John tocava o restante das músicas.

Após o sucesso das primeiras apresentações, o Testament anunciou mais datas nos Estados Unidos, Europa e Japão com a formação clássica.

2008, novo álbum

No início de 2008, o Testament lançou o disco “The Formation of Damnation”, com Chuck Billy, Eric Peterson, Alex Skolnick, Greg Christian e Paul Bostaph. O disco é um resumo de toda a carreira da banda, misturando o thrash metal clássico dos primeiros discos com o death metal da fase Demonic, e alguns elementos novos, como alguns compassos complexos. A banda está em turnê atualmente.
fonte: last fm

depois de muitos anos, até que enfim Testament chega ao nível de Slayer, Megadeth e Anthrax, o seu novo álbum Dark Roots Of Earth entrou na décima posição dos cds mais vendidos na semana passada, agora eles vão ter que pensar na turnê Big Five e não Big four, Testament sempre foi deixado de lado, e sempre foi considerado uma banda do segundo escalão do Thrash metal, Dark roots Of Earth é o cd que atingiu as posições mais altas em toda a história do Testament, vendendo mais de 2 vezes que o cd anterior que já foi considerado um sucesso, parabéns para os caras e por sempre acreditarem, demorou, mas a total reconhecimento chegou.

                                                    
[endtext]

3 comentários:

Lucas Adonai disse...

Muito bacana, curto a intro que voce dá da banda na descrição.

KGeo disse...

gostei da musica

Arash Gitzcam disse...

Esse novo do Testament está entre os melhores deles...

Postar um comentário

 
Real Time Analytics