MARILYN MANSON - Hey, Cruel World...

[postlink]http://rocknrollpost.blogspot.com/2012/09/marilyn-manson-hey-cruel-world.html[/postlink]http://www.youtube.com/watch?v=FXm5oFFHfLYendofvid[starttext]Marilyn Manson é uma banda estadunidense de rock formada em 1989 por Brian Hugh Warner, que adotou o mesmo nome artístico. Defensora do não-conformismo, frequentemente utilizando contentos líricos polêmicos e de imagens controversas, a banda é descrita como Shock Rock. É difícil categorizar a banda, uma vez que essa revela influências de muitos gêneros de rock, como David Bowie e Nine Inch Nails.

A banda foi formada em 1989, em Fort Lauderdale, Flórida, com o nome de “Marilyn Manson and the Spooky Kids” sendo o seu primeiro concerto ao vivo igualmente na Flórida, intitulado The Spooky Kids Live Shows. As performances da banda acumularam um culto local que subseqüentemente se espalhou pelo mundo.

As turnês polêmicas

A banda então inicia sua primeira grande tour, Self Destruct 94, abrindo para o Nine Inch Nails, que se tornava cada vez mais famoso. A banda era também cada vez menos convencional nos palcos. Um espectáculo em Salt Lake City, cidade conhecida por ser conservadora, é um exemplo muito famoso.

Outro fato que ficou conhecido foi no último show da turnê, na Philadelphia. Seguindo o costume da banda que fecha os shows pregar uma peça na banda de abertura, o Nine Inch Nails emporcalhou Manson e companhia com talco, vaselina, presunto e outros ingredientes e os seguranças do NiN trancaram a banda dentro de um autocarro. Soltaram-nos no canto oposto da cidade, com apenas um dólar! Com sorte, eles conseguiram boleia com dois universitários. A banda não guarda rancor pelo que Trent e companhia fizeram, pois é uma crueldade maior que a que Manson tinha imaginado. Ao voltar para uma série de shows na Flórida, Manson foi preso por nudez pública em um show em Jacksonville.

A turnê acaba e o nome Marilyn Manson tornou-se um sinônimo de polêmica e buchicho. Mesmo isso impedindo deles tocarem em alguns lugares, o número de novos fãs atraídos pelo proibido cresceu consideravelmente.

No ano seguinte, 1995, embarcaram logo em outra turnê, só que agora sendo os headliners e tendo como banda de abertura o Monster Voodoo Machine. No último show da turnê, em março, a banda teria de cumprir a tradição. Eles jogaram ovos, tomates, farinha e vinagre no Monster Voodoo Machine no meio do show. Porém, o troco deles foi muito pior do que a salada grega que o Marilyn Manson tinha jogado. Forçando o Marilyn Manson a tocar num palco lotado escorregadio e mal cheiroso. O show foi um desastre, mas Gacy fez alguns samples de improvisação com “Kill The Chicken”.
Confusões, turnês e álbuns

E mais uma perda acontecia para a banda: após muito discutir com Marilyn Manson, Sara Lee Lucas é substituído por Ginger Fish, cujo nome verdadeiro é Kenny Wilson, que a banda conheceu em um show feito em Las Vegas.

A banda começa mais uma turnê, se apresentando entre as bandas Korn e Danzig. Tirando os problemas com a censura habituais Manson ainda aprontava com o pessoal do Danzig, por quem nutriam antipatia. Para estragar o show do Danzig, a banda fazia shows, destruindo o palco, detonando o mesmo após três ou quatro músicas.

A banda solta um EP com 16 músicas, Smells Like Children. Esse EP com grande quantidade de canções estreou no 53º lugar da Billboard, ao ponto que Portrait of an American Family finalmente tinha conseguido o disco de ouro, e a banda aparecia em revistas importantes como Circus e Metal Edge. Mesmo ignorados pela maioria das rádios e pela MTV, o empenho da banda (e suas atitudes polêmicas) começava a dar resultado, e a banda conseguiu dar algumas entrevistas importantes (por exemplo, uma entrevista que Berkowitz deu à Guitar World). Na época, a Nothing Records deu uma nota à imprensa que ficou famosa: “Vejam eles agora, antes que sejam presos, mortos, ou se tornem a melhor banda dos EUA!”.

Surpreendentemente, a banda entra em mais uma turnê, para divulgar o EP. Com uma duração aproximada de seis meses, com abertura pela banda Clutch, foi apelidada de Snow Tour, por causa do péssimo tempo que a banda enfrentou. Manson, por exemplo, precisava de um tanque inteiro de oxigênio para poder se recuperar depois de cada show. A turnê durou de setembro de 95 até fevereiro de 96.

Um episódio que ficou conhecido da turnê foi um que aconteceu em Janeiro. Após tocar na Philadelphia, a banda iria de avião para Washington D.C. O aeroporto estava interditado, e a banda teve de ir de carro. A viagem duraria 3 horas, mas a neve atrapalhou e eles ficaram na estrada por 8 horas. Ao chegar ao hotel, a banda teve uma surpresa. O time de basquete do Orlando Magic e o Vila Sésamo estavam se hospedando lá também. Um dos jogadores do Orlando disse que o hotel parecia uma convenção de alienígenas.
Mechanical Animals e renovados (1998-2001)

No início do ano de 1997 começaram os rumores sobre o novo álbum da banda. Entre muitos boatos, o mais conhecido era que o próximo disco iria ter o nome de The Suffering Servant e seria ainda mais sombrio que o seu antecessor. Mas após alguns meses foi revelado que o novo álbum se chamaria Mechanical Animals.

Manson também chocou com seu novo visual: Omega, personagem que faz referência ao estágio final de sua evolução (Omëga literalmente significa “O Fim” e é a última letra do alfabeto grego) que ‘começou’ no álbum Antichrist Superstar. O visual glam rock adotado pela banda revoltou muitos fãs antigos, que começaram a desprezar a banda, inclusive quando a banda lançou um cover de “Golden Years”, de David Bowie, o qual Manson tanto idolatra, e maior inspiração musical, juntamente com Alice Cooper.

Quase simultaneamente ao lançamento do disco, ocorre a saída do guitarrista Zim Zum. Segundo Zim, ele deixou a banda porque não queria ficar à sombra de Marilyn Manson, sendo apenas mais um guitarrista. Manson, por sua vez, alegou que ele foi demitido porque não se lembrava das músicas, o que o resto da banda considerou ofensivo. No seu lugar, entrou o guitarrista John 5 (John Lowery), que já havia tocado na carreira solo de David Lee Roth (ex-vocalista do Van Halen). Antes de o álbum ser lançado, a banda participou da trilha sonora do filme Spawn, baseada na série de quadrinhos homônima.

Mechanical Animals então foi lançado estreando em primeiro lugar na Billboard. Os clipes que vieram a seguir, como “The Dope Show” e “I Don’t Like The Drugs (But the Drugs Like Me)” seguiam a nova tendência estética desenvolvida por Manson. Em setembro de 1999, Marilyn gravou o vídeo para a canção.

Entre 1998 e 2000 a banda participou da trilha sonora de filmes como Matrix (com a conhecida “Rock Is Dead”), “Detroit Rock City” e “A Bruxa de Blair”.

Ainda em novembro de 1999, a banda lança seu primeiro álbum ao vivo, The Last Tour on Earth, uma compilação do que foi a turnê de Mechanical Animals.

Em 2000 foi lançado o álbum Holy Wood (In the Shadow of the Valley of Death).
The Golden Age of Grotesque (2002-2005)

Em 2002 Twiggy Ramirez sai da banda e é substituído por Tim Skold. No mesmo ano, Jonathan Davis do Korn convida Marilyn Manson para gravar os vocais de “Redeemer”. A faixa, produzida por Jon e Richard Gibbs, foi lançada na trilha sonora de A Rainha dos Condenados.

Chega o ano de 2003. A banda participa do álbum-tributo aos Ramones “‘We’re a Happy Family”, interpretando a música “The KKK Took My Baby Away”. Em 28 de abril temos o novo single e clipe de Marilyn Manson, da música “mOBSCENE”, que viria a sair no próximo álbum da banda.

No dia 6 de maio foi lançada a trilha sonora de Matrix Reloaded, continuação de Matrix. Marilyn Manson participa com “This Is The New Shit”. Seis dias após, é lançado o novo álbum: The Golden Age of Grotesque, que se ainda mantém a ironia nas letras, sonoramente abre espaço para influências de industrial e metal alternativo. Muitos dizem que Tim Skold foi o principal responsável por isso, já que carregou nos sintetizadores.

Ainda em 2003, Marilyn participa do filme Party Monster (estrelando o ator Macaulay Culkin) interpretando o travesti Christina.

Em 2004, Manson participou atuando nos filmes The Heart Is Deceitful Above All Things no papel de Jackson e em Diamond Dead como Jesus Cristo. Seguindo a tradição, o guitarrista Jonh 5 sai da banda, sob a explicação de que estava procurando novas oportunidades.

No final de 2004, Manson lança a coletânea Lest We Forget: The Best of, recordando os maiores sucessos de sua carreira, alem das músicas “Long Hard Road Out of Hell” (que nunca havia sido lançada) e a inédita “Personal Jesus”, esta sendo uma regravação do Depeche Mode. Neste mesmo ano sai John 5, guitarrista que tinha entrado para a banda em 1998.

Em 2005, a coletânea recebe disco de ouro após passar de um total de 500.000 cópias vendidas.

Em 2005, Manson colaborou em três filmes: primeiro como empregado de um bar no filme de terror Rise, depois assumiu o papel de Cain no filme de ficção científica Abelcain, além de escrever um filme inspirado no autor do clássico “Alice No País das Maravilhas”, Lewis Carroll (ainda não lançado).
Eat Me, Drink Me e a volta de Twiggy (2007-2009)

O sexto álbum de Marilyn Manson, Eat Me, Drink Me, foi lançado em Junho de 2007, estreando na 8ª posição nos Estados Unidos com mais de 88,000 copias vendidas. Lançado mais de quatro anos depois de The Golden Age of Grotesque, Eat Me, Drink Me tem todas as faixas compostas por Manson e Skold. O álbum é o primeiro em uma grande gravadora sem a presença de Madonna Wayne Gacy, deixando assim o cantor como unico membro original desde Portrait of an American Family. Chris Vrenna, que substituiu Ginger Fish temporariamente na turnê Against All Gods agora ocupaca o lugar de Gacy.

Em 29 Novembro de 2007 um site noticiou que Marilyn Manson planejava começar a escrever faixas para o sétimo álbum em Janeiro e Fevereiro de 2008. Em 9 de Janeiro de 2008 Marilyn Manson postou uma mensagem no MySpace confirmando que o baixista Twiggy Ramirez estava de volta a banda, e que Tim Skold não fazia mais parte da banda. Aparentemente a dupla (Manson/Ramirez) foi de grande importância para a compilação do próximo álbum.

No mesmo ano Marilyn Manson surpreende todos, anunciando dois shows no Brasil, no Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP), a banda convidada a abrir o show do astro, é a banda Maldita, que era e e considerada por muitos dos fãs, o “Manson brasileiro”.

A banda Maldita vivia em grande momento e se destacava entre muitas bandas brasileiras, por suas músicas desafiadoras, no show do RJ, Erich, vocalista e líder da banda, adentra ao show, portando uma réplica de fuzil, assustando assim a segurança do evento e até mesmo o Marilyn Manson.

No show em SP, ele repete o feito e nos dias seguintes aos shows, ele e sua banda viram capa de jornais importantes e Erich é chamado em uma delegacia no RJ com sua réplica, para prestar esclarecimentos, e é liberado sem maiores problemas.
The High End of Low

Sétimo álbum de manson, o The High End of Low foi um álbum de certo modo mais calmo, e profundo - as letras tem um tanto mais de importância que a música em si. Após o álbum, Manson saiu da interscope, alegando que esta interferia na criatividade e só pensava em dinheiro (como na música Pretty as a Swastika, que foi lançada como Pretty as a ($) pela interscope).

 fonte: last fm

Não gosto das músicas desse cara, mas já que faz parte da história recente do Rock ele entra por aqui com seu terceiro vídeo do novo álbum. o segundo não entrou por que era uma música muito ruim. os álbuns dele estão vendendo cada vez menos. e o senhor manson  não assusta mais nem criancinha.

http://marilynmanson.com/

NOTA 6,5

LANÇAMENTO
 [endtext]

6 comentários:

palavras ao vento disse...

som legal....

^-^¨cat disse...

gosto desse blog porque voce fala um pouco d tudo do mundo do rock, bem legal!

OGROLÂNDIA disse...

Esse blog é sempre eclético em termos roqueiros. O blog é excelente, mas detesto esse Marilyn Manson...rsrs

Victor Lourenço disse...

Esse cara é muito estranho. Prefiro o bom e velho rock clássico. Aquele que nunca morre, enquanto esse cara tem uma legião de fãs pré adolescentes.

Cafajeste Sedentario disse...

Compartilho da opnião do Victor,sou chato e insistente ao falar do verdadeiro rock´n roll. Mas devo admitir,até que eu gosto do Manson e seu jeito apelativo,sweet dreams e the nobodies são ótimas músicas.

@Tomajeitorapaz disse...

"Conheco" a banda mas nunca tinha ouvido essa música. Legals =]

Postar um comentário

 
Real Time Analytics