MATANZA - Pé Na Porta, Soco Na Cara

[postlink]http://rocknrollpost.blogspot.com/2012/11/matanza-pe-na-porta-soco-na-cara.html[/postlink]http://www.youtube.com/watch?v=JjfAIq3uMnIendofvid[starttext]Matanza é uma banda de country hardcore do Rio de Janeiro, em atividade desde 1995. São conhecidos por sua sonoridade única e agressiva que mistura hardcore punk com country music e heavy metal, estilo que a mídia batizou de “countrycore” e que a banda adotou para si. Suas letras, na maioria das vezes, abordam temas sobre ódio, violência, mulher, bebida e contam histórias sobre o Velho Oeste americano.

Os membros da banda são grandes admiradores de Johnny Cash e, em 2005, gravaram um álbum de versões para músicas da fase inicial de sua carreira, batizado como To Hell With Johnny Cash. Entre outras influências da banda, destacam-se Motörhead, Slayer, Exploited e Dropkick Murphys.

Matanza foi idealizado nos idos de 1996 por Jimmy e Donida, atendendo à brilhante idéia de explorar as melodias simples e diretas da fase inicial da carreira do cantor americano Johnny Cash, adaptadas a um andamento de bateria como o que se ouvia da banda escocesa The Exploited. Completavam essa formação embrionária, o baterista Nervoso e o baixista Diba, registrada na demo de 1998 Terror em Dashville.

Em 1999, uma nova gravação atrairia a atenção do produtor Rafael Ramos, e levaria o Matanza à assinar com a hoje extinta Abril Music para o lançamento de seu primeiro CD. Já contando com China no baixo, Santa Madre Cassino foi gravado em Dezembro de 2000 e lançado em Março do ano seguinte, pouco antes da banda ser demitida da gravadora por falta de um sucesso radiofônico.

O Matanza segue com Rafael Ramos para a Deckdisc e grava no estúdio Tambor o seu segundo álbum, Música Para Beber e Brigar, agora com Fausto às baquetas. Deste álbum, destacaram-se “Pé na Porta, Soco na Cara” e “Bom é Quando Faz Mal”, cujos videoclipes foram dirigidos por Eduardo Kurt, responsável também pelo de “Ela Roubou Meu Caminhão”, do primeiro álbum, e por todos os que viriam a compor o tributo à Johnny Cash.

O projeto To Hell with Johnny Cash começou como um compacto de quatro músicas que a banda costumava tocar em seus shows mas, em pouco tempo, já orçavam-se 3 compactos, com 12 músicas ao todo. No começo de 2005, com o surgimento de uma nova mídia, o projeto tomou ares de disco de carreira e o resultado foi um CD-DVD, reconhecido como o primeiro título em DualDisc de um artista brasileiro em território nacional.

Gravado em meados de 2006 e lançado em Outubro do mesmo ano, A Arte do Insulto revelou uma banda imensamente mais profissional, apta à encarar a estrada de uma forma inconcebível no começo de carreira. A seriedade para com a música seria expressa no tom das letras, no peso das composições e na intensidade do show, o que levaria, mais tarde, à gravação de um DVD. O trabalho de divulgação do álbum contou ainda com o videoclipe de “Clube dos Canalhas”, dirigido por Rudi Lagemann e fotografado por Tuca Andrade, e com a revista Matanza Comix, com quadrinhos de Alan Sieber, Arnaldo Branco, Daniel Etê, entre outros, além do próprio Donida, editor da publicação.

O registro Matanza Ao Vivo gravado no Hangar 110 (SP) em Dezembro de 2008 e dirigido por Romi Atarashi, conta com Jonas na bateria e marca a transição para uma nova fase. O guitarrista Donida deixa os palcos para dedicar-se exclusivamente à composição do material da banda. Seu lugar, nos palcos, é ocupado por Maurício Nogueira (Ex-Torture Squad).

Cinco anos após A Arte do Insulto, o Matanza lança Odiosa Natureza Humana, em Março, pela Deckdisc. O aguardado 5º álbum de estúdio (e 4º de inéditas) começou a ser feito em 2010 e foi gravado em 3 dias, ao vivo, com fita de rolo (nada de arrumações digitais) e produção de Rafael Ramos no estúdio Tambor. Depois de 15 anos de carreira, 6 CD’s e um DVD lançados e uma média anual de 90 shows, a banda segue na ativa praticando o seu maravilhoso country hardcore com letras irônicas e mau-humoradas.
FONTE: LAST FM

Rock nacional é isso aqui, pé na porta, soco na cara e depois pergunta. um clássico do Matanza.

http://www.matanza.com.br/
[endtext]

5 comentários:

Zetrusk disse...

Não gostei, amei a música, muito bom.

doseilah disse...

Matanza... tenho medo! *-*

Estéffani Fontes disse...

Visitando, sem nada pra fazer '-'
n sou fã de roock, mas é bons alguns ...
beijos
http://aosdezesseisanos.blogspot.com.br/

Filipe Dias disse...

Gosto, letras humoradas e criativas.

PS: conhece Terra Celta? Uns caras lá de Londrina. Procure Piratas e Rum

Cafajeste Sedentário disse...

O Motorhead brasileiro ! hehe
Matanza é foda.

Postar um comentário

 
Real Time Analytics